Inocência e grandeza

Os convites mais variados chegam à casa dos Arautos do Evangelho em Ponta Grossa. Desde apresentações musicais, animação da liturgia, palestra de formação de jovens, jogos etc.

Esta semana chegou o convite de uma família.

Tratava-se de uma bênção a ser ministrada pelo Diácono Paulo Sérgio, EP, a uma criança enferma, em fase de recuperação. Diante da inocência, pureza de alma e resignação da criança — a pequena Rúbia — ocorreram-me sugestivas e fortes impressões.

Antes da benção dos enfermos oferecemos a Rúbia um pequeno brinquedo: um caleidoscópio. No mesmo instante parecia não ter mais doença alguma, nem mesmo sentir qualquer incômodo, e inocentemente pôs-se a contemplar o entretido e pequeno espetáculo de inúmeras figuras cambiantes de um mundo colorido e maravilhoso.

Pouco antes desta visita encantou-me conhecer a vida de Santa Rosa de Lima, a jovem santa peruana, padroeira da América Latina. Passei a relacionar aquela pequena e inocente criança à grande Santa. Os pontos de semelhança pareceram ser a resignação e docilidade em aceitar sacrifícios pedidos por Deus.

Nos escritos de Santa Rosa encontramos linhas magníficas sobre a graça e amor ao sofrimento, vejamos um pequeno trecho: “Quem dera que os mortais conhecessem o valor da graça divina, como é bela, nobre, preciosa; quantas riquezas esconde em si, quantos tesouros, quanto júbilo e delícia! Sem dúvida, então eles empregariam todo o empenho e cuidado para encontrar penas e aflições! Iriam todos pela terra a procurar, em vez de fortunas, os embaraços, moléstias e tormentos, a fim de possuir o inestimável tesouro da graça. É esta a compra e o lucro final da paciência. Ninguém se queixaria da cruz nem dos sofrimentos que lhe adviriam talvez, se conhecessem a balança onde são pesados para serem distribuídos aos homens”.

Se todas as pessoas a quem Deus pedisse um sacrifício fossem como a pequena Rúbia e a grande Santa Rosa de Lima, o mundo seria outro.

Rezemos pela recuperação de Rúbia; com as graças obtidas por Nossa Senhora ela vai muito bem e peçamos a Santa Rosa de Lima a graça de — como à pequena Rúbia — aceitar com docilidade tudo pedido por Deus.

IZONETE BUENO

SALVE MARIA ! QUE GRANDE EXEMPLO P/ NÓS , ACEITAR COM PACIÊNCIA NOSSA CRUZ E AS PROVAÇÕES EM NOSSA VIDA , SEM PERDER O SORRISO E A ALEGRIA . QUE SEJAMOS COMO ESTA CRIANÇA AMÉM