Maravilhas em Preto e Branco

O caro leitor deve estar imaginando que vamos discorrer sobre uma magnífica exposição fotográfica do século XIX ou uma singular amostra de desenhos a lápis por algum renomado artista.

 

Se o leitor imaginou algo deste teor declaro que infelizmente está enganado.

Nestas últimas férias mais de 40 jovens aspirantes dos Arautos do Evangelho das Cidades de Curitiba e Ponta Grossa tiveram a oportunidade, muitos pela primeira vez, conhecer algumas Cidades Históricas do Estado de Minas Gerais.

 

 

Partindo de São Paulo, nossa caravana teve por primeira atividade conhecer a Cidade de Caxambu – MG,  o maior potencial hidro mineral do Mundo.

O Parque das Águas… aliás muito bonito, pois foi feito especialmente para receber a família Imperial brasileira. A Princesa Izabel devido a anemia foi  ali tratar-se e saiu totalmente curada.

Nossos jovens puderam tomar deste líquido precioso abundante neste local e com propriedades naturais benfazejas para diversas funções de nosso corpo padecente pelos efeitos do pecado original.

No mesmo parque pudemos fazer um passeio de teleférico, tendo uma magnífica visão panorâmica da Cidade e das montanhas em torno,  características deste estado.

O esplendoroso azul do Céu, os múltiplos tons de verde das montanhas em nada faz evocar o nosso título, mas não desanime, em breve ficará como se diz “preto no branco”.

O ponto auge deste “histórico” passeio depois de cruzarmos tantos vales e montes, foram as lendárias cidades de Ouro Preto e Congonhas do Campo, onde pudemos contemplar a grandeza e beleza destes conjuntos arquitetônicos compostos de Igrejas e casarios. Cada ruazinha esconde um segredo e uma surpresa, casa Igreja uma pedrinha deste caleidoscópio: visto de diferentes ângulos formam figuras totalmente novas.

O que dizer dos Profetas do famoso Aleijadinho? São de uma eloquência bíblica com uma nota brasileira.

Nunca se poderá conhecer totalmente estas cidades pois sempre escondem algo para ser visto, convidando e sussurrando em nossos ouvidos: voltem outra vez!

Parece sem sentido dizer o preto ficou claro! E o branco continuará na escuridão?

Talvez a visita a Ouro Preto tenha sido o auge, mas não o fim. Aquelas montanhas convidam para mais uma aventura: a escalada do Pico de Itacolomi.

Próximo à cidade de Ouro Branco o pico eleva-se imponente sobre as montanhas ao redor. Ora seu cume permanece coberto pelas nuvens, ora recebendo os primeiros raios de um sol que brilha em “Céu de Brigadeiro”. Esta montanha serviria de pedestal para todos estes jovens contemplarem as maravilhas presenteadas por Deus àquela região.

Os picos desanimam os tíbios, mas enchem de entusiasmo aqueles que desejam estarem mais próximos de Deus! Depois de árdua escalada estávamos no ponto mais alto da montanha contemplando as nuvens ao contrário de que se costuma ver, pois estas se deslocavam lentamente… abaixo de nossos pés. Aquela vista privilegiada, o frescor da brisa certamente ficarão profundamente marcados no coração destes jovens por todas as suas vidas.

Os jovens Arautos do Evangelho puderam conhecer estas maravilhas  em um convívio imbuído de virtude e alegria nas cidades e Ouro Preto e Ouro Branco nestas férias.

Porque as cidades se chamam Ouro Preto e Ouro Branco? Não poderemos elucidar esta pergunta neste artigo; quem sabe fica para uma próxima postagem.

Sirlete Lemes

Fenomenal!!! É inexplicável a beleza da natureza e a perfeição explicita aos nossos olhos, obra no Criador!!