190 anos de epopéia

Quando Deus criou os hom-ens, designou a cada um deles um Anjo da Guarda, para os guiar e proteger em todos os momentos de suas vidas.

Assim também acontece com cada obra realizada pelo homem visando o bem e a glória de Nosso Senhor Jesus Cristo. Essas obras Dante Alighieri as chama de ” netas de Deus ”: o homem é filho de Deus e suas obras, suas “filhas” são netas de Deus.

Pode tratar-se de uma Igreja, um monumento e até uma cidade. Por exemplo, na ocasião em que foi erguida a Basílica de São Pedro em Roma, Deus designou um anjo para dela cuidar.

O mesmo se deu em 15 de setembro de 1823, quando foi fundada a cidade de Ponta Grossa. A região era chamada recanto das Capitanias de São Vicente e não fugia da rota de bandeirantes e principalmente dos jesuítas.

Já em seu nascedouro a cidade demonstrou-se fervorosa , pois depositaram muito empenho na construção da ” Casa de Telha ”: um local construído pelos jesuítas, para a celebração das Missas, Sacramentos e festas religiosas.

Reuniam-se ali povos do mais diversos pontos e foi de grande utilidade para reuniões com fins eclesiásticos e civis, constituindo-se assim a sede da povoação. Porém, a escolha do local tornou-se motivo de muitas discussões entre os proprietários, cada qual querendo fazer prevalecer suas opiniões.

Um homem de muita fé, chamado de Carvalhes, sugeriu então soltar uma pomba branca com um laço vermelho atado aos pés. Guiada por mãos divinas, a pomba não pousou em outro lugar senão na alta cruz que havia ao lado do barracão. Neste local, encontramos hoje em dia a Catedral do Bispado.

As belas pastagens da região e sua abundância, atraíram grandes fazendeiros paulistas para estabelecer-se pela região .

A “Princesa dos Campos”, abriga em seu território grandes cachoeiras, como a do Buraco do Padre, usada pelos jesuítas para seus retiros espirituais. Salta aos olhos do bom admirador a Cachoeira da Mariquinha, que bem poderíamos chamar de ”Cachoeira das Maravilhas ” por ser um grande reflexo da grandeza e a beleza de Deus.

Pedimos à Mãe da Divina Graça, seu infalível auxílio como padroeira dessa diocese, para fazer dessa cidade em seus 190 anos de história, construída sobre o alicerce da Santa Igreja, uma realização perfeita dos desejos de Nosso Senhor Jesus Cristo quando nos ensinou a rezar: “venha a nós o Vosso reino assim na terra como no Céu”. Que nessa cidade possamos viver à semelhança do reino celeste, onde reina a virtude, onde predomina a prática do bem e o amor ao próximo.

É nessa grande data que comemoramos nesse mês de setembro, uma cidade construída sobre lugares sagrados, tendo como alicerce nada mais, nada menos que a Fé e a Esperança de um povo.