”Deixai vir a Mim os pequeninos, porque deles é o Reino dos Céus”

Já se completam dois milênios que Nosso Senhor Jesus Cristo se encarnou e esteve com os homens nesta terra de exílio, pregando, advertindo, ensinando, e suas palavras não perderam a força e a atualidade. Suas parábolas magistralmente, ou melhor, divinamente compostas, são aplicáveis, sem problema algum, tanto ao mundo antigo, quanto à sociedade atual.

Por exemplo, um dos primeiros cristãos poderia chamar de joio as heresias contra a Igreja nascente, do mesmo modo que um missionário chamaria de joio qualquer elemento prejudicial à sua evangelização. Quem poderá contestar essa ”doutrina nova dotada de potência”, como diziam seus inimigos.

É sobre este aspecto que analisamos suas palavras a respeito das crianças: ”Deixai vir a Mim os pequeninos, porque deles é o Reino dos Céus”. E também ”quem não se fizer como uma destas crianças não entrará no Reino dos Céus”.

E nos dias de hoje, exatamente em 04 de setembro de 2013, ao realizarmos o Projeto Futuro e Vida no Colégio Integração, constatamos que o Reino dos Céus é realmente dos pequeninos. A alegria e a inocência são as virtudes mais salientes em uma criança. E não faltou aos alunos do colégio Integração nenhuma destas qualidades. A execução das músicas foi vivamente acompanhada de palmas e exclamações por nossos jovens. Houve alguns que, se aventurando na função de regente ditaram o ritmo das músicas. Outros gritavam ”olé” nas músicas espanholas e os olhares atentos não abandonaram um só instante as baquetas durante a apresentação da percussão.

Muitos nunca tiveram a possibilidade de assistir pessoalmente uma apresentação musical. Conversando com os músicos afirmaram: ”A harmonia é divina de se ouvir pessoalmente. Gostei bastante da interação com os alunos e a explicação da relação entre a estrutura da música e da vida humana”. De fato o projeto aborda a temática da harmonia da sociedade, comparando a união dos instrumentos enter si com relacionamento de uns com os outros. A importância de respeitar os outros alunos e os professores, assim como um músico respeita os outros instrumentistas e também o maestro.

Neste sentido um dos professores disse a respeito do projeto: ”Achei de grande aprendizado musical, cultural e social. Além de promover o conhecimento dos instrumentos e seus sons, também promove a interação, coletividade e sociabilidade”.


A alegria das crianças foi contagiante, assim cada um de nós pôde a seu modo assemelhar-se a elas. Supliquemos pois a graça de ”entrar no Reino dos Céus”.