Eles foram os primeiros

 

Como todos sabem o presépio dos Arautos do Evangelho já está à disposição aos que desejam acompanhar passo a passo o Nascimento do Menino Jesus. Neste ano os primeiros a assistirem a narrativa foram os alunos das turmas de catequese da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora. Como terá sido essa visita?

Foi com enorme alegria que os Arautos se prepararam, na manhã de sábado do dia 21/09, para receber as turmas do 1º e 2º tempo da Eucaristia da catequese da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora. Essa alegria não foi só nossa, pois ao chegarmos na Paróquia com a condução, meninos e meninas nos esperavam contentes e entusiasmados para a visita.

Chegando à Casa dos Arautos, iniciou-se a apresentação do presépio. Segundo o modo característico, utilizando sons, luzes e movimentos, o presépio narra a história do Salvador da humanidade em aproximadamente 25 minutos. Em seguida foram feitas perguntas relacionadas à apresentação, distribuindo prêmios aos que respondiam corretamente. Os prêmios consistiam em incentivos à piedade, como medalhas, terços, etc.

Em seguida houve um “Open House”. As crianças percorreram animadamente a casa toda, começando pela capela, visitando o viveiro com os pássaros ornamentais, a fonte com carpas coloridas, os murais com fotos, enfim, conheceram tudo. Uma apresentação musical faz parte da dinâmica desenvolvida com as crianças, que por sua vez, acompanharam com todo entusiasmo as canções apresentadas.

Uma enquete foi distribuída durante o lanche, visando saber quais foram os aspectos mais marcantes para cada um. Uns diziam se interessar pelo próprio Nascimento, outros pelo batismo no rio Jordão, e outros ainda pela instituição da Sagrada Eucaristia.

Lemos em uma enquete: ‘‘o Natal é uma época que gostaríamos de manter sempre em nossos corações”. De fato, quem nunca pensou desse jeito? Talvez não tenha formulado essa sentença, mas seu coração sentia saudades das alegrias do Santo Natal. Realmente, são tantas as graças dispensadas pelo Divino Menino Jesus, por ocasião das festividades de seu Nascimento, que quase poderíamos ”apalpá-las”.

Chegamos ao fim da visita e como diz o velho ditado, ”partir é sempre morrer um pouco”. Assim se deu neste sábado, quando nos despedimos de todos, mas havia algo que consolava: no próximo ano nos encontraremos novamente!