Há uma escravidão que liberta e uma liberdade que escraviza

Escravidão e liberdade? Como podem unir-se termos opostos nessa afirmação? Mas de fato esses termos aparentemente antagônicos, tem toda toda relação entre si!

Uma pessoa adentrando pelas vias do pecado acaba tornando-se escravo de seus vícios. E como diz São Paulo, o pecador se torna escravo do pecado. Por exemplo: um viciado em bebida alcoólica atende a todas as solicitações de seu vício. Ele tem a liberdade de ingerir qualquer bebida, mas é escravo do álcool. Em contrapartida uma pessoa trilhando o caminho do bem, da virtude é livre. A sua consciência limpa é o consolo de sua alma.

Foi com esse estado de espírito que onze pessoas fizeram no dia 08 de setembro, sua consagração como escravos de amor à Maria Santíssima, segundo o método do santo mariano São Luis Maria Grignion de Monfort.

O ato solene se deu na capela dos arautos em uma Santa Missa. O momento escolhido foi o ofertório, ocasião na qual oferecemos a Deus os dons distribuídos por Ele próprio. Na opinião de todos, a cerimônia não poderia ter sido mais abençoada. As leituras parecem ter sido escolhidas para a ocasião, as músicas pareciam ser tocadas por anjos, o aroma do incenso impregnou o ambiente de uma atmosfera toda ela celestial, as palavras eloquentes e fervorosas do sacerdote inflamaram de entusiasmo nossos corações. Em uma palavra a cerimônia foi inesquecível. Alguns emocionados do começo ao fim, não resistiram e as lágrimas se fizeram notar. De fato tornar-se propriedade de Nossa Senhora não é qualquer coisa. Ela poderá agora dirigir-se a seu Divino Filho em favor de seus novos escravos. E qual o filho negará um pedido implorado por sua mãe ?

A preparação para consagração consiste em uma série de meditações com base no ”Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem” escrito por São Luis Grignion. Antecedem uma série de orações preparatórias, separadas por dias, e por fim no tão esperado dia reza-se a consagração. A seriedade do ato culmina com a assinatura do texto da consagração aos pés da imagem do Imaculado Coração de Maria.

Ao final da missa os pedidos insistentes de muitos nos obrigaram a improvisar uma lista para a nova turma de consagração, motivados pelas bênção da cerimônia, queriam eles também se consagrar à Virgem das virgens.

Constatamos com imensa alegria a crescente devoção a Nossa Senhora atravessando os séculos. Em nossa sociedade tão afastada de Deus, carente de bons exemplos, vemos essas famílias tornando-se escravas de amor da Santíssima Virgem Maria darem um um excelente incentivo a seus filhos. De fato elas precederam seus filhos na consagração, mas nossos jovens contam agora, ansiosos, os dias que faltam para, a exemplo de seus pais, serem totalmente de Nossa Senhora!

José Eduardo Pinheiro

Felicito especialmente os Consagrados, que souberam escolher este belo caminho para estar mais próximos de Deus e Sua e nossa Mãe Santíssima. Quero também felicitar o autor do artigo, que não podia estar mais bem escrito. Soube descrever o realizado e despertar o interesse para novas cerimônias. Parabéns.