Santo Natal

O que aconteceu? Não é muito cedo para se falar de Natal? Digamos que sim, mas há uma razão por trás de tudo isso… Continue lendo e descubrirá.

Corria o ano de 1223, São Francisco de Assis passou por Roma e obteve do Papa Honório III autorização para celebrar o Santo Natal de maneira até então inédita. Escolheu ele um bosque nas proximidades da aldeia de Greccio, região da Úmbria, não muito distante de Roma. Preparou ele com toda diligência o primeiro presépio, colocou o altar diante da manjedoura ladeado de um boi, um burro e uma bela imagem do Menino Jesus, em tamanho natural, pousava sobre a palha.

Quando o sino da Igreja daquela aldeiazinha anunciou a meia-noite, um Padre começou a celebrar a Santa Misssa. Terminada a leitura do Evangelho, todos puseram-se atentamente a ouvir o sermão que o próprio São Francisco proferiu, das grandezas e misericódias do Salvador da humanidade, o qual naquela noite ” se fez carne e habitou entre nós ”. De seus lábios brotaram palavras de unção sobrenatural a respeito da pobreza em que nasceu o Homem-Deus e sobre a pequenina cidade de Belém.

Findo o inspirado sermão, São Francisco debruçou-se para oscular a imagem do Divino Infante. Nesse momento, operou-se um milagre que poucos puderam notar, a imagem transformou-se no próprio Menino Jesus que, ao ser osculado, como que desperta de um profundo sono e sorri comprazido para o santo de Assis.

A devota e inédita instituição foi acolhida com entusiasmo pelos fiéis. Santa Clara de Assis, discípula do Santo, cada ano armava o presépio com suas próprias mãos. Igualmente os frades franciscanos espalharam esse costume por todas as regiões do mundo.

De peças rudes ou artisticamente lavradas, de barro, porcelanas ou madeira, o presépio transformou-se no próprio símbolo do Natal. Da majestosa catedral até a simples capela rural, do palácio ou mansão até a mais simples moradia, os povos do mundo inteiro, desde aquela época, adquiriram o piedoso costume de montar seus presépios, tornando assim esta piedosa tradição que alimenta a fé de jovens, anciãos, adultos e crianças.

*    *    *

Aproveitando esta divina inspiração, os Arautos do Evangelho utilizaram o presépio como meio muito útil para evangelização. Uma vez que a nossa geração é a da imagem, ele foi montado de uma maneira diferente, pois além de todas as passagens relacionadas ao nascimento do Salvador, como a Anunciação do Anjo Gabriel, visita a dos reis magos e pastores, nascimento, milagres, crucifixão, morte até a ressurreição, contamos com cenas da sua vida pública, o batismo no Jordão, a ressurreição de Lázaro e a Instituição da Eucaristia.


Isso tudo é ” vivido ” por aqueles que assistem atentos a narração, jogos de luzes e movimentos de imagens, em sessões de aproximadamente 25 minutos.

E para contemplarmos tudo não precisamos ir muito longe, basta ir à casa dos Arautos do Evangelho, localizada na Av.Gal. Carlos Cavalcanti, 4221 – Bairro Uvaranas- Ponta Grossa – PR.

Venha com sua família, turma de escola ou catequese. Agende pelos telefones:(42)3226-5911 ou (42)8822-0701. Falar com Adriano Iansen. Se preferirem, acessem [email protected]/pontagrossa.blog.arautos.org