Criatividade

Em nosso país-continente estamos acostumados com o intenso brilho do sol em todas as estações do ano. De certa forma, o astro-rei contribui para a extrema competitividade do Brasil em certos setores, no cenário internacional. Nas regiões produtoras do País, a regularidade do clima permite grandes plantações de soja, milho, algodão, cana e outras culturas, que tornam o Brasil um dos principais exportadores mundiais dessas commodities.

Por isso mesmo é praticamente impossível para um brasileiro imaginar um cenário em que o sol raramente aparece: seria uma ideia muito difícil de compreender.

Mas… as facilidades existentes no Brasil não se repetem no mundo todo. Alguns lugares do planeta precisam conviver com a ausência do sol, pelo menos em parte do ano.

Viganella nos três meses de sombra

Tomemos por exemplo uma charmosa e pequena vila italiana, chamada Viganella, com aproximadamente 200 habitantes, localizada nos Alpes italianos, próxima de Milão, no norte daquele país.

A cidade foi construída no fundo de um vale profundo, entre as montanhas e, conforme noticia a BBC News ⁽¹⁾, entre os dias 11 de novembro e 2 de fevereiro — três longos meses!, Viganella não recebe um único raio de sol, pois as montanhas que a circundam lançam sombras sobre o vale.

Como a criatividade humana contornou essa dificuldade? Fixando um espelho gigante numa das montanhas!

Viganella iluminada pelo espelho

Por iniciativa do prefeito da cidade, Pierfranco Midali, foi posta em prática a ideia genial de um arquiteto: um espelho gigante, medindo 40 metros quadrados, com peso de 1 tonelada, a um custo aproximado de 300 mil reais, foi colocado numa montanha oposta à cidade. Esse espelho é controlado por computador e, conforme o sol gira durante o dia, seu reflexo é projetado sobre a cidade. Uma ideia estupenda, não é verdade? Vale a pena ler a notícia completa.

*   *   *

Além dos muitos dons dados por Deus a nosso povo, o Brasil, é o país de maior área aproveitável em todo mundo. Há outros países com superfície total maior (Rússia, Estados Unidos etc.) mas todos têm parte — às vezes não pequena — de seu território inaproveitáveis devido ao frio extremo, desertos, montanhas rochosas, solo estéril e outros fatores.

Desenho esquemático de como funciona o espelho

Como comentamos no início deste artigo, o Brasil não conhece as dificuldades de desertos, frios extremos, vulcões, etc. Vivemos — parafraseando o Hino Nacional — “deitados em berço esplêndido”.

Ficam as perguntas: que uso faremos desta terra abençoada por Deus? Estamos dando uso adequado aos recursos que temos? Estamos buscando, sobretudo, cumprir os planos do Criador para este nosso imenso País?

Contemplando as dificuldades que existem em outras nações, ficam esses questionamentos para a nossa reflexão.

Agradeçamos a Deus por tantos dons e peçamos à Senhora Aparecida, Mãe e Padroeira do Brasil que, por sua intercessão, possamos cumprir inteiramente os desígnios de Deus a nosso respeito. Do contrário seríamos como o servo mau citado pelo Evangelho, que enterra o talento recebido.

Se formos o que devemos ser, especialmente no cumprimento dos mandamentos, podemos esperar um magnífico porvir, pois “não há o que derrote um povo virtuoso e que ame verdadeiramente a Deus” ⁽²⁾.

.

Colaboração: João Celso – Maringá

.
.

⁽¹⁾Ver: http://news.bbc.co.uk/2/hi/europe/6189371.stm

⁽²⁾ Plinio Corrêa de Oliveira, “Revolução e Contra-Revolução”, 5ª Edição, Ed. Retornarei, São Paulo, 2002.