MÃE DE TODOS OS POVOS

Mons. João Clá, Fundador e Superior dos Arautos do Evangelho, ao longo dos anos nos faz peregrinar pelas verdades ensinadas pela Santa Igreja, pelas belezas da Liturgia, pela ordem e harmonia do universo — e amá-las.

Há, porém, um tema muito caro ao Monsenhor, no qual ele nos faz peregrinar muitas e muitas vezes: Nossa Senhora.

A razão da predileção por este tema nos é dada pelo grande Doutor da devoção a Nossa Senhora, São Luís Maria Grignion de Montfort, em seu livro — obra-prima no assunto — “Tratado da verdadeira Devoção a Nossa Senhora”. Diz o santo Doutor: “Assim como na geração natural e corporal há um pai e uma mãe, há, na geração sobrenatural, um pai que é Deus e uma mãe, Maria Santíssima. Todos os verdadeiros filhos de Deus e os predestinados têm Deus por pai, e Maria por mãe; e quem não tem Maria por mãe, não tem Deus por pai”. (*)

Nossa Senhora da Luz dos Pinhais
Padroeira de Curitiba

Mãe, palavra evocativa de mil maravilhas. Cremos poder dizer com segurança que o amor materno de nossas mães terrenas são um reflexo criado por Deus, do amor de Nossa Senhora por nós. Não é sem razão que, no despertar das primeiras luzes da razão de uma criança, para explicar quem é Nossa Senhora, a mãe terrena aponta: “Mamãe do Céu”…

Pela diversidade de características dos povos, cada um vê a mesma Mãe Celeste com aspectos diferentes e nos convida a considerar belezas contrárias mas harmônicas. Há uma forma de harmonia decorrente do modo como cada povo entrevê em Nossa Senhora o resumo de todas as perfeições criadas.

Rússia – Ícone

É para esse peregrinar, da Virgem Santíssima vista por povos diversos, que convidamos o caro internauta.

Diante dessas imagens ouça palavras maternas que só o coração escuta. Enfim, é uma peregrinação tão amena, tão aprazível, durante a qual descansa-se à medida que se avança.

Caro internauta, deixe um pouco o suceder imprevisto dos vários acessos ao alcance do mouse, pare um pouco e considere esta Mãe, toda Ela doçura, afeto e misericórdia.

.

(*) São Luís Maria Grignion de Montfort, “Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem”, Ed. Vozes, Petrópolis, 43ª edição, 2013, nº 30, p. 37.