Fátima, aurora de uma nova era histórica

No dia 13 de setembro de 2017 ocorrerá o centenário da penúltima aparição de Nossa Senhora em Fátima. Com Fátima ocorreu um fenômeno como poucas vezes ocorre: Deus manda como Mensageira a própria Virgem Santíssima, mas, ao par de que muitos já ouviram falar de Fátima e até conhecem a imagem, poucos conhecem o conteúdo da mesma.


Ao par das ameaças condicionais contidas na mensagem, também desconhecem a grande esperança que Nossa Senhora nos proporciona ao afirmar na conclusão de uma das mensagens: “Por fim meu Imaculado Coração Triunfará”. O Mons. João Clá, Fundador dos Arautos do Evangelho, nos fala dessa grande esperança. (1)

AURORA DE UMA NOVA ERA HISTÓRICA

Mons. João Scognamiglio Clá Dias

Corria o remoto ano de 1917 e, naquela altura, Nossa Senhora em Fátima descreve uma situação de decadência moral avançando a passos largos. Os homens afundavam cada vez mais num abismo de imoralidade, atraindo sobre si os acontecimentos trágicos preditos por Ela, caso não mudassem devida.

As modas indecentes, por exemplo, que se tornariam mais censuráveis, fizeram a Mãe de Deus Se lamentar.(1) O modo de se vestir contrário ao pudor era, já então, sintoma de uma profunda crise. Se considerarmos os trajes do tempo e os compararmos com os que estão em voga em nossos dias – que amiúde mal podemos chamar de trajes –, a que conclusão chegaremos?

Cidade devastada na II Guerra Mundial

Muito mais trágico ainda é o desaparecimento quase completo da família cristã, a qual deveria ser fundada sobre a indissolubilidade do vínculo matrimonial e a generosa disposição de ter uma prole numerosa. Quantos são hoje os que desejam construir seus lares sobre a rocha firme do Evangelho? Se continuássemos analisando a sociedade em que vivemos, à luz dos Mandamentos divinos, qual seria o diagnóstico?

Por isso, Nossa Senhora julgou necessário fazer conhecer aos homens a tragédia que viria se não mudassem de conduta, precisamente para não ter de castigá-los. Suas advertências anunciavam uma punição condicional, que se daria apenas caso a humanidade não se convertesse.

Assim, os propagadores da Mensagem de Fátima, ao lembrarem seus contemporâneos das predições e ensinamentos da Mãe de Deus, o fazem antes de tudo para a glória do Criador, mas também para evitar que se sucedam dramas ainda maiores.

Uma confirmação dessa didática materna foi o milagre do sol, presenciado por setenta mil pessoas: o astro rei executou terríveis giros no céu, parecendo, em alguns momentos, que iria despencar sobre a multidão que, ajoelhada, pedia perdão a Deus por suas culpas. Finalmente, ele voltou a brilhar em sua órbita normal, causando grande sensação de alívio nos presentes.

Portanto, as profecias de Fátima são, antes de tudo, palavras de esperança e de certeza da vitória. Não é o anúncio do fim, senão a aurora de uma nova era histórica. Quem lesse esta Mensagem com a mentalidade eivada de fatalismo ou com pensamento milenarista julgaria que estamos para iniciar o Juízo Final ou nos bordos de uma catástrofe sem solução.

Aos pessimistas, milenaristas ou fatalistas, se juntariam, em fila, aqueles que leem os jornais ou acompanham com assiduidade as notícias que circulam na internet e mídias sociais, para dizer em coro: a humanidade está enferma; mais ainda, em fase terminal…

Em sentido oposto, o sensus fidei (2) mostra não estar de acordo com os planos da Providência que o mundo termine sem que a Santa Igreja atinja toda a perfeição para a qual foi chamada. Por este motivo, com base nas profecias de Fátima pode-se conjecturar que haverá um período,antes do fim do mundo, no qual Maria será Soberana, Rainha dos corações.

Esta era histórica que virá como uma grande misericórdia é o Reino de Maria previsto por São Luís Maria Grignion de Montfort, (3) que não é senão o triunfo do Imaculado Coração de Maria, anunciado por Nossa Senhora aos pastorinhos.

Ora, o que significa este triunfo? Assim como em Caná o melhor vinho foi servido ao final, também na História da humanidade Nosso Senhor parece querer deixar a última palavra para sua Mãe Santíssima: “Por fim, o meu Imaculado Coração triunfará”!

O triunfo d’Ela é o triunfo de Cristo. É o Reino de Maria, no Reino de Cristo!

POR FIM O MEU IMACULADO CORAÇÃO TRIUNFARÁ!

(1) Por fim meu Imaculado Coração triunfará!, Mons. João Scognamiglio Clá Dias, Instituto Lumen Sapienti, São Paulo, 2017.

(2) Cf. DE MARCHI, ICM, João M. Era uma Senhora mais brilhante que o sol. 8.ed. Fátima: Missões Consolata, 1966, p.291.

(3) Ensina a Igreja que “os fiéis têm um instinto para a verdade do Evangelho, o que lhes permite reconhecer quais são a doutrina e prática cristãs autênticas e a elas aderir. Esse instinto sobrenatural, que tem uma ligação intrínseca com o dom da fé recebido na comunhão da Igreja, é chamado de sensus fidei” (COMISSÃO TEOLÓGICA INTERNACIONAL. O “sensus fidei” na vida da Igreja, n.2, 10/6/2014).

(4) Cf. SÃO LUÍS MARIAGRIGNION DE MONTFORT.Traité de la vraie dévotion à la Sainte Vierge,n.217. In: OEuvres Complètes. Paris: Du Seuil, 1966, p.634-635

Ilustrações: Arautos do Evangelho, Wiki, [email protected].