O maravilhoso poder da água benta

Afirmou-me um sacerdote amigo que inúmeros católicos, mesmo dos mais instruídos, não sabem para que serve a água benta. É pena! Por isso, não se beneficiam desse precioso instrumento instituído pela Igreja para ajudá-los em praticamente todas as circunstâncias e dificuldades da vida!

Para que serve?

Há várias formas de usá-la. A mais comum é persignar-se com ela. Outra é aspergi-la sobre si mesmo, sobre outras pessoas, lugares ou objetos. Qualquer leigo ou leiga pode fazer isto. Naturalmente, quando feito por um sacerdote tem mais peso.

Seu efeito mais importante é afastar o demônio. Este “ronda em torno de nós como o leão que ruge”, procurando fazer-nos toda espécie de mal, como nos adverte São Pedro (I Ped 5,8). Os espíritos malignos afetam às vezes até as atividades físicas do homem, querem, antes de tudo, induzir-nos ao pecado grave. Para isto empregam todos os recursos: provocam em nós um sem número de incômodos físicos ou psicológicos; ou pequenos incidentes, em nosso dia-a-dia; ou ainda criam atrapalhações que parecem ter causas meramente naturais; muitas vezes causam atritos no nosso convívio, etc.

Tudo isso pode ser evitado afugentando o demônio com um simples sinal da cruz, feito com água benta. Quando você sentir uma irritação estranha, faça essa experiência, e preste atenção no efeito salutar que produz! Logo lhe voltará a serenidade.

Além do mais, a água benta é um sacramental que nos alcança o perdão dos pecados veniais, pode livrar-nos de acidentes (trânsito, assaltos, quedas), e ajuda até a curar doenças.

Outro benefício muito interessante e pouco conhecido da água benta: pode ser usada eficazmente em proveito de pessoas que se acham distantes de nós. E mais, cada vez que a utilizamos para fazer o sinal da cruz, na intenção das almas do purgatório, elas são aliviadas dos seus sofrimentos.

De onde vem esse poder maravilhoso?

Vem do fato de ser ela um sacramental instituído pela Santa Igreja Católica. O sacerdote benze a água, enquanto ministro de Deus, em nome da Igreja e na qualidade de representante dela, cujas orações nosso Divino Salvador sempre atende com benevolência.

É importante lembrar que para ser verdadeiramente água benta, ela precisa ser benzida pelo sacerdote segundo o cerimonial prescrito pela Igreja, no “Ritual de Bênçãos” e no próprio “Missal Romano”, ambos publicados pela CNBB. Não sendo utilizado este cerimonial, a água não é água benta e, portanto, não produz os efeitos descritos acima.

Portanto, não se esqueça!

É muito conveniente ter sempre consigo água benta para usar em qualquer circunstância. Por exemplo:

* benzer-se com ela ao sair e ao entrar na igreja, em casa ou no local de trabalho

* ao iniciar uma oração, um serviço, uma viagem

* aspergir na casa algumas gotas de vez em quando, para afastar a influência maléfica dos demônios (Isto pode ser feito por qualquer pessoa da família).

(Condensado e adaptado do artigo “O maravilhoso poder da água benta” de autoria de Oscar Motitsuki, na revista “Arautos do Evangelho”, nº 30, junho de 2004, p. 32-33. Para acessar a revista Arautos do Evangelho do corrente mês clique aqui )

Ilustrações: Arautos do Evangelho