Ponte de ouro e porta do Céu

Dentre os seres criados, o mais alto é evidentemente a humanidade santíssima de Nosso Senhor. Contudo, assim como não existe teto sem colunas para sustentá-lo, nem cidades em estrada para até lá chegar, é ainda preciso encontrar o meio de se alcançar Jesus.

Ora, Ele não seria verdadeiro Homem se não fosse por Maria, porquanto Ela foi concebida, na mente de Deus, junto com Cristo, num mesmo e único ato planejador. Isto não Os torna apenas indissociáveis, mas também estabelece uma relação incontornável pela qual Ela é caminho necessário para se chegar a Ele.

Esta verdade foi muitas vezes incompreendida, como se a mediação de Maria existisse em detrimento da mediação necessária de Cristo: muitos autores dão voltas torcicolosas para “falar de Maria sem ferir a Jesus”, como se elogiar a Mãe insultasse o Filho…

Muito pelo contrário, a figura de Nossa Senhora como Medianeira é uma das mais belas glórias de Deus: constituída como Santuário onde se encontra o Tabernáculo, Maria é o meio seguro, desejado e estabelecido por Deus, para se chegar até seu Coração. Quem A despreza, a Deus despreza, e só quem por Ela entra, chega até Ele, pois foi Ele mesmo quem A constituiu para nós como ponte de ouro, que atravessa por cima de nossas misérias, e porta do Céu, aberta até para os pecadores, desde que saibam passar por Ela.

Assista o vídeo.

 

(Condensado da revista “Arautos do Evangelho”, nº 178, outubro de 2016, p. 5. Para acessar a revista Arautos do Evangelho do corrente mês clique aqui )

 

Os comentários estão fechados.