A origem do alfabeto russo

São Cirilo e São Metódio, nascidos no século IX, eram irmãos e foram missionários em Bizâncio, partindo depois para as terras eslavas.

Durante a viagem para a Rússia, traduziram as Sagradas Escrituras para língua eslava, a fim de evangelizar esse país. O primeiro criou o alfabeto Cirílico, e o segundo traduziu a Bíblia para essa nova escrita.

Imagens representando São Cirilo e São Metódio

São Cirilo transcreveu o russo oral, partindo do alfabeto grego, língua materna de ambos, acrescentando algumas letras criadas por eles, devido à falta de caractéres gregos para representar alguns sons da lingua eslava. Assim foi composto o alfabeto cirílico. Infelizmente alguns de seus símbolos foram extintos durante a Revolução Comunista de 1917, restando apenas 33 letras, que até hoje são utilizadas também na língua ucraniana e outras línguas de origem eslava.

Curiosamente, este alfabeto conta com uma letra que é usada para exprimir o pronome “eu”. É a letra “я”, que tem o som de “ya” e ocupa o último lugar neste alfabeto.

Podemos tirar daí o principio de que para sermos como os santos, o “eu” tem que estar sempre em ultimo lugar.

Portanto, quando nos encontramos com uma pessoa um tanto presunçosa que gosta de falar na primeira pessoa, ou seja, “porque eu fiz isso”, “porque eu disse aquilo”, “eu vi”, “eu gosto”, “eu quero”, poderiamos, com resolução, responder em russo: я последняя буква алфавита (A “ya” é a última letra do alfabeto cirílico).